Livro e peça bilíngue debatem libras no palco

No Brasil, São Paulo é a cidade que tem relativa oferta de espetáculos com recursos de acessibilidade. Se a adaptação de prédios garante o acesso às salas, para cadeirantes, é função da tradução simultânea para surdos, ou da audiodescrição, para deficientes visuais, oferecer o mergulho na obra apresentada.

Mesmo assim, há barreiras que o ator e autor Wesley Leal deseja eliminar. Nesta terça-feira, dia 9, ele lança o livro Dança-Teatro e a Libras, pela Editora Giostri. Libras significa Língua Brasileira de Sinais.

Na mesma noite, também estreia O Resto É Silêncio, espetáculo bilíngue (português e libras) que traz Leal ao lado de Rafael Anastasi. “Durante a criação, o objetivo era trazer a linguagem de sinais ao centro do palco, de modo que fosse uma fonte criativa nas cenas, mais que apenas utilizar sua função de traduzir”, conta Leal.

Na peça, um jovem surdo narra seu sonho de ouvir os fogos de artifício no ano-novo. A saga passa por uma cirurgia e diversas barreiras. “A comunicação é a principal delas. Seja na família, com os amigos e na escola. Ainda é comum ser incompreendido.” A cada ensaio, a dupla dirigida por Sabrina Caires recebia surdos para obter retorno sobre a clareza da comunicação na cena. “Embora sejamos intérpretes, precisamos checar o gestual correto em diversos casos e a fusão dele no palco. Por outro lado, o espetáculo é bilíngue, então a preocupação foi não segregar, criando, por exemplo, uma peça apenas para surdos. Nesse caso, a música, com sua vibração, também percebida pelos surdos, une todos.”

O resultado, conta Leal, é uma peça bastante visual, sem tanto apelo ao texto, formato que ainda motiva a maioria das montagens em cartaz no Brasil.

Sem negar a importância dos intérpretes que ficam ao lado dos palcos, em peças tradicionais, ele diz que a experiência nem sempre é estimulante. “No geral, o que acontece é você assistir a um tradutor, enquanto tenta ver alguma cena ou outra. Ainda faltam produções culturais na cidade que pensem nesse público e como se comunicar com ele”, acrescenta.

DANÇA –TEATRO E A LIBRAS. Autor: Wesley Leal. Editora: Giostri (120 págs., R$ 38)

O RESTO É SILÊNCIO. Espaço Parlapatões.  Praça Roosevelt, 158. Tel.: 3258-4449. 3ª, 21h. R$ 40 / R$ 20. Até 30/1. Estreia 3ª (9).

Fonte: Estadão

Já conhece a Audithus? Venha nos visitar!
contato@audithus.com.br
São Caetano: 11 2376-7703
Santo André: 11 2325-3357
São Bernardo: 11 3907-6463
Mauá: 11 4544-2371

0 comments on “Livro e peça bilíngue debatem libras no palco

Comments are closed.